Assinatura RSS

Uma agressão nunca vem sozinha

Publicado em

Outro dia estava conversando com uma amiga que acabou de passar por um episódio muito difícil e, infelizmente, nada raro. Sabe a  tal da  violência doméstica? Pois é.

Quando eu soube,  fiquei horrorizada, com raiva, assustada. E fomos conversando… até que ela disse algo que me fez refletir muito:  “Ele sempre me respeitou e de repente ficou assim.”

Comecei a lembrar de tudo que ela já tinha contado do cara. De todas as histórias. De como essa história se desenrolou. E cheguei a uma conclusão que pode parecer óbvia agora, mas não é. Ele não ficou assim de repente, ele sempre foi assim, esse foi apenas o estopim.

A agressão final foi um final. Não foi um começo. Não foi quando ele começou a mudar. Ele não mudou, sempre foi assim. Pode nunca ter agredido fisicamente antes, mas agredia de outras formas. Essas coisas nunca acontecem de repente.

Uma agressão nunca vem sozinha. Ela vem acompanhada de outras, só que elas variam de forma, e isso pode nos confundir. Ela vem acompanhada de descaso, de mentira, de agressão verbal e psicológica (que é, sim, uma agressão).

Começa com uma grosseria, um berro, um dedo na cara. Daí vira um xingamento, uma ameaça. Depois, uma segurada de braço, um empurrão. Daí pra frente já sabemos de muitos exemplos, certo?  Os casos podem ir ao extremo, com estupro e feminicídio.

Por isso, precisamos prestar atenção. Não é frescura, não é porque as mulheres são “sensíveis”. Não temos que aceitar esse tipo de situação. Na verdade, não devemos aceitar e nem achar que a culpa é nossa. Porque nós estamos sujeitas a erros, claro. Mas não tem erro que justifique violência (seja qual for a sua forma). É um direito de toda mulher não ser agredida. Simples assim.

E não se engane, violência contra a mulher é muito mais comum do que muitas pessoas podem imaginar e toda mulher tem uma história de horror para contar.

Natalia Mendes

Anúncios

»

  1. Concordo completamente. Uma amiga foi agredida ano passado, mas nós já sabíamos que o namorado dela era “estranho”. A agressão física é o estopim da coisa, mas a agressão começa muito, muito antes.

    Responder
  2. ótima análise. concordo! :)

    Responder
  3. Pingback: Nem com uma flor « TodasNós

  4. estou gravida e tenho um bebe de 1 aninho, meu marido me da empurrões me xinga, mete o dedo na minha cara, e diz que isso não é agressão… não sei o que fazer

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: