Assinatura RSS

Orgulho nenhum de ser hetero

Publicado em

O Projeto de Lei do vereador Carlos Apolinário, do DEM, que cria o dia Dia do Orgulho Hetero foi aprovado na câmara, que  quer “conscientizar e estimular a população a resguardar a moral e os bons costumes”. Quero dizer tanta coisa sobre isso, que vou tentar me controlar e editar o que penso.

Essa frase me incomoda e muito. Quer dizer que ser gay é imoral e um “mal” costume?! E o vereador ainda disse, como muitos dizem por aí, que não é homofóbico, que até tem amigos gays. Ter amigos gays não e suficiente para não ser homofóbico, não bater em casais gay que andam na avenida paulista também não é suficiente pra você não ser homofóbico.

“Meu cabelereiro é gay. Tem até um camarada que ele chama de marido. É um cara normal: eu beijo ele, ele me beija. Não tenho nenhum problema. Na minha campanha, meu maquiador era um gay. E já tive dois funcionários gays que eram chefes do telemarketing”, gaba-se.
(Matéria da Carta Capital, grifo meu)

Se ele dissesse: “Eu não sou racista, até tenho uma empregada doméstica que é negra. É normal, converso com ela, peço por favor… Ela tem até umas pessoas na casa dela que chama de família”, significaria que ele não é racista?!

Não basta inverter a situação, não é tão simples assim, não funciona em toda e qualquer situação. “Se existe orgulho gay, por que não pode haver orgulho hetero?” é uma das coisas mais absurdas que se pode dizer. Caso você ache que nessa declaração não tem nada de mal, nada de homofobia, se você pensa que isso é normal e não tem nada demais, sinto dizer que precisa se informar mais e prestar mais atenção as coisas a sua volta.

Segundo a matéria da Carta Capital, “Apolinário disse que o projeto foi apenas uma forma de se manifestar contra “excessos e privilégios” destinados à comunidade gay.”

Infelizmente, muitas pessoas dizem isso, que gays, mulheres, negros só querem direitos e não deveres. Preste atenção em um exemplo que o Apolinário deu sobre o “excesso” de privilégios dos gays:

Outro exemplo do excesso de privilégios, lembra Apolinário, é que durante as festas sindicais de 1º de Maio não há distribuição gratuita de camisinha; já na Parada Gay, elas são jogadas às centenas graças à ajuda do contribuinte

Acho que ele o conceito dele de privilégio é meio distorcido. Vamos ver o que diz o dicionário:

privilégio
pri.vi.lé.gio
sm (lat privilegiu) 1 Direito, vantagem ou imunidades especiais gozadas por uma ou mais pessoas, além dos direitos comuns dos outros. 2 Licença ou permissão dada a certas pessoas ou coisas com exclusividade. 3 Direito, graça peculiar, prerrogativa. 4 Diploma que contém a concessão de um privilégio; patente. 5 Dom natural do corpo ou do espírito. 6 Dir Posição de superioridade, sancionada ou não por lei ou costumes, decorrente da distribuição desigual do poder político ou econômico.

camisinhas: um "privilégio" dos gays

Os homossexuais tem uma posição de superioridade por que em um dia ganharam camisinhas? Eu sou mais privilegiada que imagina, então. Também já ganhei camisinha de graça e olha que nem foi na Parada Gay.

É privilégio apanhar simplesmente por ser homossexual? É privilégio não conseguir um emprego simplesmente por ser homossexual? É privilégio sua sexualidade ser piada (quem nunca falou, mesmo que “de brincadeira”: “e aí seu viadinho”, “nossa, que gay isso”, “meio gay falar/fazer isso né”). Com certeza não. O nome disso é preconceito.

O vereador faz mais afirmações assustadoras:

“O que faz um gay ser discriminado? Você põe um camarada gay para trabalhar no gabinete do vereador. Chega lá, ele faz uma voz que não é a dele, anda de um jeito que não é o jeito dele andar…É que nem um cara que corta o cabelo igual ao do Ronaldinho: ele passa e você olha. Ou uma mulher que sai com o busto de fora, ou bota minissaia. A pessoa vai olhar e fazer comentário. Mas se o gay tem um procedimento normal, fala e anda do jeito dele, ninguém vai estranhar”

Quer dizer que aquela voz não é dele?? É de quem então? Se eu soubesse antes que é possível falar como uma voz que não é a sua não teria crise em ouvir minha voz gravada. Será que posso ouvir com um ouvido que não é o meu também? É que às vezes quero ouvir outras coisas, sabe…

Apesar da irritação, Apolinário garante que, diferentemente do colega de política, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), não tem problemas em conviver com a comunidade gay. Se os filhos seguissem esse caminho, garante, ele pediria apenas que eles mantivessem a discrição.

Realmente, Apolinário e Bolsonaro não tem NADA A VER! (isso foi uma ironia, caso alguém fique na dúvida).

E para quem acha que o movimento LGBT não tem nada pelo que lutar, que tem “excesso de privilégios”, vale lembrar que o Brasil é o país com maior número de crimes contra LGBTs.

“Não sejamos ridículos; quem escolheria a homossexualidade se pudesse ser como a maioria dominante? Se a vida já é dura para os heterossexuais, imagine para os outros”, já diria Drauzio Varella. “Afinal, caro leitor, a menos que seus dias sejam atormentados por fantasias sexuais inconfessáveis, que diferença faz se a colega de escritório é apaixonada por uma mulher? Se o vizinho dorme com outro homem? Se, ao morrer, o apartamento dele será herdado por um sobrinho ou pelo companheiro com quem viveu trinta anos?”

Pra terminar, quero destacar parte do ótimo texto da Srta. Bia – que recomendo que leiam inteiro – sobre o assunto:

O Dia da Mulher existe, não para ganharmos parabéns ou flores, mas para ser um marco da luta das mulheres. O Dia do Orgulho LGBT existe para nos lembrar o quanto é difícil fugir dos padrões de sexualidade. O Dia da Consciência Negra existe para que negras e negros olhem para si, para as características de sua raça e não se sintam inferiores. E todos esses dias marcam lutas pela igualdade social numa sociedade machista, homofóbica e racista.

Natalia Mendes

Anúncios

»

  1. Li a reportagem do Apolinário e achei bem confuso seu posicionamento, além de preconceituoso.
    Dia Hétero, dia do branco, dia do homem …. não existe fundamento nisso. Afinal, as maiorias sociais já tem lá todo seu histórico de predominação moral.
    Vou adicionar o blog ao meu.

    Grande abraço!

    Responder
  2. Pingback: orgulho hétero (?) |

  3. muito bom :)

    Responder
  4. Parabéns para este vereador! Ele está lutando para defender a moral cristã.A Palavra de Deus é clara: “Não te deitarás com um homem como se deita com uma mulher.É uma abomimanação”.Lv.18,22. E há várias passagens que atestam claramente que Deus não errou na fórmula: “Deus criou o homem à sua imagem,à imagem de Deus ele os criou, HOMEM E MULHER ele os criou”.Gn. 1,27.

    Responder
    • fabiano, o Estado é (teoricamente, pelo menos) laico. o vereador pode seguir a religião que quiser, mas como vereador deve respeitar outras religiões e até mesmo a não-religiosidade das pessoas que fizerem essa escolha.

      Responder
  5. a humanidade não precisa de livros mentirosos,arcaicos e absurdamente preconceituosos,como a bíblia,para se guiar nos dias atuais,mesmo porquê o estado tem de ser laico de fato (embora não o seja).sempre que a homossexualidade vem á tona como assunto,aparecem mil e um fanáticos dizendo que o deus bíblico proíbe isso e aquilo,etc e tal…mostrando não só crassa ignorância com relação à sexualidade de outrem,mas também a própria.um deus que restringe liberdade moral a alguns só porquê sua sexualidade difere do da maioria e ao mesmo tempo permite que padres e pastores enriqueçam em seu nome,não merece atenção das pessoas mais razoáveis e inteligentes que existem.um deus desse tipo não passa de um deus de areia,uma mentira,uma fábula enganosa criada pelos próprios homens para oprimir aqueles que não se enquadram em seus pontos de vista equivocados.a mesma idolatrada bíblia diz claramente que as mulheres tem de ser subservientes aos homens e faz apologia a escravatura.desculpem supostos cristãos de plantão_a bíblia é altamente homofóbica,machista e racista,pra dizer o mínimo.eu já a rasguei e a coloquei na lata de lixo do meu vizinho traficante,pois era o mínimo que eu podia fazer por mim mesmo!

    Responder
  6. Cada um defende aquilo de que mais gosta. Os que apelam para o Deus bíblico a fim de condenar os gays, praticam outros atos que a Bíblia igualmente condena. Por que esses homofóbicos não se dirigem às pessoas que são gananciosas e que enriquecem ilicitamente dizendo que a Bíblia condena o seu procedimento? E o que dizer dos religiosos que exploram a boa-fé de um povo ignorante e conseguem acumular fortunas? Eles também apelam para o Deus bíblico só naquilo que lhes interessa! Portanto, o Estado brasileiro deveria ser laico de fato e ter uma Constituição de país civilizado e fazer dela a sua Bíblia. Abaixo o fanatismo religioso e a intolerância!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: